Futuro do pretérito simples (Condicional 1)

O momento em que determinada enunciação ocorre é algo que deve ser levado em consideração no hora de se estabelecer a formação de um tempo verbal. Isso se torna possível a partir da expressão do que é dito ou escrito por determinada pessoa, uma vez que se esboça a noção de temporalidade de uma dada ação ou fenômeno.

Presente na maior parte das comunicações, o modo indicativo contém uma série de divisões que possibilitam com que haja a correta expressão dos fatos. Em se tratando de ações situadas em ocasiões posteriores a que se refere, emprega-se o futuro do pretérito para expressá-las adequadamente.

Há duas classificações em se tratando deste tempo verbal. A primeira delas é a forma simples e a outra é a composta. Estas divisões diferenciam-se pela maneira como cada sentença emprega o futuro do pretérito simples (Condicional 1). No primeiro caso, que é o que nós trataremos neste artigo, o interlocutor ou a pessoa que escreve não necessita de combinações, algo que se verifica na forma composta.

Confira exemplos do uso do futuro do pretérito simples.

a) Para indicar ações de natureza posterior ao momento em que se fala (arrepender-se):
Está certo de que não se arrependeria de mudar-se de cidade?

b) Para expressar incerteza em relação a acontecimentos passados (ser):
Quem seria aquela mulher que esteve aqui hoje?

c) Como maneira polida de se expressar um desejo (gostar e desejar):
Gostaria de falar com você a respeito dessa situação.
Viemos dizer que desejaríamos te ajudar.

d) Para denotar indignação ou surpresa (dizer):
Ninguém diria que ela seria capaz de fazer aquilo.

e) Pode ser utilizado para indicar fatos que não se concretizaram e que provavelmente não irão se concretizar (comprar):
Se não tivéssemos esbanjado dinheiro, nós compraríamos o carro.

O futuro do pretérito simples costuma ter grande aplicação em situações cotidianas. Dessa maneira, seu emprego torna o uso da linguagem ainda mais apurado. A norma culta contém diversas variações, sobretudo em Língua Portuguesa, por tratar-se de um idioma composto por inúmeros vocábulos.
De maneira geral, o interlocutor poderá fazer o emprego deste tempo verbal sempre que julgar conveniente. Assim sendo, é importante que se conheça em que situações seu uso se justifica. Conhecer cada tempo empregado para os verbos poderá ser algo de grande valia. Somente dessa maneira é possível dar a forma correta às construções das mais diversas frases.
E isso poderá ocorrer tanto em relação ao que se fala quanto ao que se escreve.

Últimas traduções

que bom, , , , , , , , , ,

o alfabeto de sinonimos

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z